Arquivo para dezembro \25\UTC 2013

Design sem designer, não.

Wallace Vianna é designer gráfico e webdesigner no Rio de Janeiro, RJ.

vaso-flores vaso-planta
Imagens:
http://butterflyhands.wordpress.com/category/sketch/page/6/
http://antigosmodernos.blogspot.com.br/2011/12/achei-um-charme.html

Estava olhando uma camiseta que ganhei há tempos: tinha um desenho muito bom, pois, mesmo tendo sido feita para divulgar a empresa do cliente, dava pra usar sem parecer um outdoor ambulante, Dava, pois depois de entregue o cliente final mandou aplicar por cima da estampa o nome da empresa, bem visível e de modo chamativo. Moral da história: acho que só usei a camiseta uma única vez. Intervenções de design feitas por quem não é designer quase sempre acabam mal.

Dando aula de projeto de webdesign, normalmente deixo os alunos escolherem o tema de seus projetos pessoais. Mas procuro orientá-los a escolher previamente um desenho de site existente, pois nem todo mundo que faz esse curso  tem formação em design. Mais ou menos como indicar para a secretária um modelo de apresentação de PowerPoint antes dela começar a montar a apresentação (colocar as fotos e textos nos escaninhos dos slides).
O motivo é evidente: por mais que você não saiba desenhar, você vai gostar dos seus desenhos, assim como todos os pais amam seus filhos (essa observação não é uma licença poética).

Por isso, antes de começar a aula de projeto mostro um exemplo, um “caso real” do que acontece quando o(a) aluno(a) escolhe um desenho e no meio do caminho muda de idéia… personalizando o desenho ao seu gosto pessoal.

Mostrando esse exemplo, cito o exemplo do clássica história do Frankenstein (que mostra que juntar pedaços desconexos para dar vida a algo nunca não acaba bem) e normalmente até os mais teimosos se rendem aos fatos: design deve ser deixado com os designers, assim como medicina com os médicos e assim por diante.

Num evento sobre internet o palestrante mencionou um fato: desenvolver sites com CMS (Gerenciadores de Conteúdo, na tradução) além de ser boa  opção de ferramenta integradora (design, marketing e programação) é uma boa maneira de evitar que o cliente descaracterize seu trabalho de design. Os CMS são tão engessados (ou padronizados) que desanima qualquer curioso a fazer alterações no projeto (de design) desenvolvido.

Certo, existem as exceções: já conheci estudantes de programação que desenhavam muito bem. Um de meus ídolos na área de design para internet é engenheiro civil (!). Mas isso não habilita que um técnico em enfermagem faça operações no cérebro. Pelo menos não antes de mostrar sua experiência ou talento no assunto. E isso vale para webdesign também.

Enfim, o que me motivou a fazer estas linhas foi um fato meio recorrente a qualquer profissional de webdesign: tive de refazer um site que esta no meu portfólio, meio às pressas, pois o seu design hoje já não é mais o mesmo, da época em que foi entregue. Nestas horas  meu lado webdesigner tem inveja de meu lado designer gráfico, de mídia impressa: se o cliente quiser personalizar um livro depois que sai da gráfica, vai ter de gastar muito tempo ou dinheiro (dependendo da tiragem). Desabafos à parte, todo webdesigner tem de ter uma cópia de seu site entregue, em seu site pessoal.

Anúncios